27 de setembro de 2008

Um homem nunca chora (José Craveirinha)

UM HOMEM NUNCA CHORA Acreditava naquela história do homem que nunca chora. Eu julgava-me um homem. Na adolescência meus filmes de aventuras punham-me muito longe de ser cobarde na arrogante criancice do herói de ferro. E agora tremo. E agora choro. Como um homem treme. Como chora um homem! José Craveirinha