22 de outubro de 2008

A fraternidade das palavras (José Craveirinha)

A FRATERNIDADE DAS PALAVRAS O céu é uma m´benga onde todos os braços das mamanas repisam os bagos de estrelas. Amigos: as palavras mesmo estranhas se têm música verdadeira só precisam de quem as toque ao mesmo ritmo para serem todas irmãs. E eis que num espasmo de harmonia como todas as coisas palavras rongas e algarvias ganguissam neste satanhoco papel e recombinam em poema. José Craveirinha