2 de abril de 2009

Cabo Verde: Hospital Agostinho Neto vai estar ligado a Coimbra (Portugal)

Telemedicina: Hospital Agostinho Neto vai estar ligado a Coimbra Praia 2 Abr. (Inforpress) – O serviço de cardiologia do Hospital Agostinho Neto estará ligado, no mês de Maio, aos serviços de cardiologia pediátrico de Coimbra (Portugal). Esta política inovadora vai conter o fluxo ambulatório dos pacientes cabo-verdianos a outros países. Este projecto é financiado pela empresa cabo-verdiana de telecomunicações CVTelecom. “Nas situações em que é necessário uma opinião mais especializada ou mais cuidada, já não será preciso o doente ser evacuado para Portugal, porque os especialistas cabo-verdianos e portugueses podem analisar o estado clínico, ver as ecografias e os exames on-line e decidirem, em conjunto, o tratamento adequado para o paciente”, afirmou Artur Correia, director do hospital Agostinho Neto. Para o director, esta medida introduz na medicina e na economia cabo-verdianas vantagens que considera “extraordinárias”. “Já temos um projecto de telemedicina para ligar os serviços de saúde de Cabo Verde a centros de saúde de referência, nomeadamente, em Portugal e nas Canárias e outros que possam vir a aparecer”, afirma. Artur Correia está certo que Cabo Verde está condenado a avançar nesta área porque “somos um país onde é complicado ter acesso aos especialistas por vivermos num arquipélago. Portanto, a solução para as pessoas que estão mais distantes é a telemedicina”. Por isso, o Hospital Agostinho Neto está empenhado na informatização e no uso das novas tecnologias de informação e comunicação. Um processo já iniciado há três anos. Primeiro, a aposta é na informatização interna das estruturas do hospital Agostinho Neto, evoluindo depois para a ligação em rede com os centros de saúde. De acordo com Artur Correia, o objectivo do projecto é a ligação on-line com os centros de saúde com uma relação directa com o hospital. Assim todos têm acesso aos registos da passagem de um doente dos centros de saúde para o hospital. Todo o processo, como o historial médico, as análises complementares do diagnóstico do paciente é acompanhado clinicamente. Os pacientes vão ter a vida facilitada. Passam a ter acesso aos custos de cada consulta e se um doente precisar de um exame especializado, o médico pode fazer uma marcação on-line depois de consultar as disponibilidades dos diferentes serviços hospitalares. Este projecto é coordenado pelo Núcleo Operacional do Sistema de Informação (NOSI) e financiado pelo ministério da Saúde. AM Inforpress/Fim.