22 de junho de 2009

Oldemiro Baloi, preside na quarta-feira, em Berlim, à gala inaugural da 1ª Semana de Moçambique na Alemanha

Oldemiro Baloi, ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação
MNE inaugura semana de promoção de Moçambique na Alemanha O ministro dos Negócios Estrangeiros moçambicano, Oldemiro Baloi, preside na quarta-feira, em Berlim, à gala inaugural da 1ª Semana de Moçambique na Alemanha, que incluirá um vasto programa cultural e jornadas económicas em várias cidades. A iniciativa surgiu “da necessidade de encontrar formas de chamar a atenção para a riqueza cultural do país e para as suas potencialidades económicas nos domínios da energia, transportes e comunicações” disse à Lusa o embaixador de Moçambique na Alemanha, Carlos dos Santos. O diplomata considerou as relações germano-moçambicanas excelentes, destacando a realização de consultas anuais e de negociações bilaterais de dois em dois anos, para aprovar projectos concretos, e a existência de uma comunidade de mais de cinco mil moçambicanos na Alemanha. No aspecto cultural, o destaque Semana de Moçambique vai para o espectáculo da Companhia Nacional de Canto e Dança, na sexta-feira, na Casa das Culturas do Mundo, em Berlim. A abrir as actividades, na terça-feira, haverá um jogo de futebol, em Berlim, entre equipas do Ministério dos Negócios Estrangeiros alemão e da comunidade moçambicana e será inaugurada na capital alemã uma exposição com obras dos artistas plásticos moçambicanos Chica Sales, Mankeu e Silvério Sitoe, intitulada “Novos Caminhos - Outros Gestos”. Os escritores moçambicanos Paulina Paulina Chiziane e Nelson Saúte participam em saraus literários em Berlim, Aachen, Estugarda e Colónia, e os cantores moçambicanos Wazimbo, Mingas, Neyma e Stewart Sukuma, actuam na Kesselhaus, em Berlim, no sábado. Além disso, durante toda a semana decorrerá no Hotel Maritim, em Berlim, uma semana gastronómica de Moçambique, dirigida pela Chefe Graça, vinda especialmente de Maputo. As jornadas económicas iniciam-se na quarta-feira, na capital alemã, dedicadas aos temas das energias renováveis e do turismo, seguindo-se Hamburgo, na sexta-feira, sobre economia marítima e de transportes, e Munique, a 30 de Junho. A conferência económica na capital da Baviera, que versará sobretudo a promoção de investimentos, encerra a Semana de Moçambique na Alemanha, e será presidida pelo ministro da Educação e da Cultura, Aires Ali. A Alemanha elegeu Moçambique com um dos quatro países-piloto para o plano de acção destinado a reduzir a pobreza a metade até 2015 nos países em desenvolvimento, um dos Objectivos do Milénios traçados pelas Nações Unidas. Desde o início das relações diplomáticas entre os dois países, em 1980, Berlim disponibilizou 900 milhões de euros a Maputo para ajuda ao desenvolvimento, além de outras verbas no quadro multilateral, através da União Europeia e do Banco Mundial. O último plano trienal aprovado em 2009 e válido até 2011 prevê ajudas de 93,5 milhões de euros, além de uma verba de 20 milhões, atribuída em Dezembro de 2008 para o combate à Sida. Os projectos que a Alemanha apoia em Moçambique centram-e nas áreas da agricultura, ensino, e desenvolvimento económico sustentável. A Alemanha importa sobretudo alumínio de Moçambique, e exporta máquinas, instalações fabris, veículos pesados e produtos químicos. O País, 22 de Junho de 2009