3 de julho de 2009

Racismo: Cabo-verdiana agredida com lixívia na Itália


Racismo: Cabo-verdiana agredida com lixívia na Itália Uma cabo-verdiana de nome Elisa foi atingida no domingo, 28, com lixívia atirada por duas mulheres. As italianas, de 61 anos e 39 anos de idade, reagiram desta forma intempestiva ao riso dos filhos da cabo-verdiana, que brincavam na varanda da sua casa, em Milão, Itália. A noticia é capa do jornal EPolis Torino. De acordo com o jornal, a lixívia causou queimaduras leves na mulher cabo-verdiana, que foi atendida no serviço de urgência do hospital. Entretanto, segundo a reportagem do jornal, a escolha da lixívia não foi casual porque as duas mulheres, após atirarem o produto para cima da vítima, gritaram "isto é para embranquecer a tua pele negra". O EPolis Torino acrescenta que este é mais um episódio de racismo, uma agressão sem motivo, que aconteceu em Barriera, em Milão. Os três envolvidos residia num condomínio denominado Via Patetta. A cabo-verdiana, Elisa, morava num dos apartamentos com o pai e dois filhos, de 11 e seis anos. “Não é a primeira vez que acontecem cenas do género envolvendo as duas mulheres. Elas costumam dirigir insultos a Elisa. Mas os cabo-verdianos são pessoas tranquilas, gentis e educadas”, diz um vizinho. Refira-se que, ainda segundo o jornal, as duas italianas, mãe e filha, resistiram a prestar declarações à Polícia, tendo barricado em sua casa. A Semana, 3 de Julho de 2009