5 de março de 2010

Jornalista e escritora Rosa Langa entre os melhores da África e América Latina


Rosa Langa: Entre os melhores da África e América Latina

A jornalista e escritora Rosa Langa viu a sua obra “As Inconfidências dos Homens” seleccionada para uma grande colectânea de livros pertencentes a escritores de África e da América do Sul.

“As Inconfidências dos Homens” está numa antologia que leva como título “América do Sul e Africa: um olhar próprio, livros para conhecer os dois continentes” e é composto por 499 páginas, ilustrada com imagens de capa dos respectivos livros.

A selecção para esta grande obra foi feita pelo júri da Fundação Alexandre de Gusmão, e procura espelhar a vitrine editorial em que a diversidade cultural e a produção intelectual dos dois continentes promove uma aproximação directa entre os escritores, os seus dirigentes e o corpo diplomático presente em cada um dos continentes e que também teve um contributo valioso para tornar esta obra uma realidade.

Moçambique como um dos países seleccionados tem na presente antologia, para além de Rosa Langa, escritores como o poeta-maior José Craveirinha, com a obra “Poemas de Prisão” e Armando Guebuza que participa com “Poesia de Combate”. O escritor Luís Bernardo Honwana tem patente o seu célebre “Nós Matamos o Cão Tinhoso”.

Está presente ainda o escritor Mia Couto, com o romance “Terra Sonâmbula”, Eduardo Mondlane com a obra “Lutar por Moçambique”, e ainda Salvador Namburete de quem foi escolhido o livro “A Organização Mundial do Comércio: uma visão africana”.

A obra “As Inconfidências dos Homens” – apresentada publicamente em Maputo a 22 de Agosto de 2008, aparece na categoria “Sociedade/Cultura”, onde os produtores desta colectânea a consideram uma das mulheres favoritas para o seu género escolhido: a Entrevista.

De acordo com o júri que seleccionou “As Inconfidências dos Homens”, com o seu género, Rosa Langa consegue, a seu jeito, “arrancar” os mais difíceis segredos dos homens e que antes, provavelmente, teriam jurado que nunca falariam deles, porque segredos de uma vida íntima. Enganaram-se. “Quem resiste as insistentes perguntas, num misto de uma sedutora simpatia desta jornalista?”, aponta o júri.

Consideram ainda Rosa Langa, mulher pequena de estatura, mas grande na alma, dado os seus feitos, como “A Mulher desbravadora”.

A capa desta colectânea esteve a cargo de Lane Taylor Dream, coordenada por uma equipa técnica constituída por Eliane Miranda Paiva, Maria Marta Lopes, Cíntia Sousa Araújo, e Érika Nascimento.

A obra foi impressa em finais de 2009 no Brasil e apresentada publicamente em Fevereiro de 2010, na capital Brasília sob a chancela do Ministério das Relações Exteriores do Brasil.

Traduzido nas línguas Portuguesa, Espanhola, Inglesa e Francesa, esta antologia contempla 20 livros de cada país. No primeiro tomo temos dez livros que são resenhas e comunicações, e no segundo tomo outros dez títulos que abordam diferentes aspectos do conhecimento humanístico, tais como Antropologia, Ciência Política, Cultura/Sociedade, Economia e História.

Escritores de Argélia, Argentina, Benin, Bolívia, Brasil, Camarões, Chile, Costa do Marfim, Gabão, Guiana, Líbia, Marrocos, Moçambique, Paraguai, Quénia, Senegal, Suriname, Africa do Sul, Cabo Verde, Zâmbia, Angola, Tanzânia entre outros, dão vida a esta colectânea.

Celso Amorim, prefaciador da obra e Ministro das Relações Exteriores do Brasil, considera que “América do Sul e Africa: um olhar próprio, livros para conhecer os dois continentes” é uma verdadeira viagem virtual através da literatura, constituindo um marco na aproximação de laços históricos, étnicos e culturais entre as duas regiões do mundo em desenvolvimento.

Maputo, Quarta-Feira, 3 de Março de 2010:: Notícias