19 de fevereiro de 2012

Por Culpa da Sociedade (Manuel João Cardoso, Dezembro 1999)


Por Culpa da Sociedade

Todo o homem ao nascer

não vem de livre vontade

ninguém o pode reter

é empurrado para viver

nesta triste sociedade


já caiu no esquecimento

o maior valor e mais profundo

que é amar com sentimento

toda a ternura e encanto

dum homem a vir ao mundo


já não há sensibilidade

a humanidade vive alterada

no mundo impera a maldade

às vezes sem necessidade

tem-se uma vida depravada


vejo tanta juventude

sem caminho p'ra correr

se não houver quem ajude

faltará ao mundo saúde

esta sociedade irá morrer


por culpa desta sociedade

há muita má união

andram ladrões em liberdade

que até tiram a vontade

a quem quer ganhar o pão


por culpa da sociedade

os ricos sobem na vida

mas a irónica realidade

é que alguns com a vaidade

dão a queda na subida

por culpa da sociedade

a pobreza está crescendo

há ricos só por vaidade

enquanto os pobres na verdade

para sobreviver estão lutando


está crescendo o egoísmo

nesta humanidade pervertida

não há amor nem altruísmo

está sendo enorme o abismo

em que a sociedade está metida.

Manuel João Cardoso (Dezembro 1999)